sábado, 26 de novembro de 2011

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Eu não faço a menor idéia do que vejo em você...

...mas também não faço idéia do que não vejo. Eu posso dar para um cara mais gostoso… Mas por alguma razão prefiro suas piadas velhas e seu jeito homem de ser. Você é um idiota, uma criança, um bobo alegre, um deslumbrado, um chato. Mas você é homem. E talvez seja só por isso que eu ainda te aguente: 
você pode ter todos os defeitos do mundo, mas ainda é melhor do que o resto do mundo…

Tati Bernardi

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Eu me rendo, eu gosto de você, gosto mesmo. 
Saco, por que a gente diz que gosta e não consegue dizer a verdade? 
Eu te amo, é isso.


Gabito Nunes

3 semanas atrás...

foi quando eu descobri que ninguém além de mim, deve decidir o que me faz feliz. 
nem sempre o que te faz feliz agrada a todos.
fazer o quê. 

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

E mesmo sorrindo por ai, cada um sabe a falta que o outro faz.

Eles se amam. Todo mundo sabe mas ninguém acredita. Não conseguem ficar juntos. Simples. Complexo. Quase impossivel. Ele continua vivendo sua vidinha idealizada e ela continua idealizando sua vidinha. Alguns dizem que isso jamais daria certo. Outros dizem que foram feitos um para o outro. Eles preferem não dizer nada. Preferem meias palavras e milhares de coisas não ditas. Ela quer atitudes, ele quer ela. Todas as noites ela pensa nele, e todas as manhãs ele pensa nela. E assim vão vivendo até quando a vontade de estar com o outro for maior do que os outros. Enquanto o mundo vive lá fora, dentro de cada um tem um pedaço do outro. E mesmo sorrindo por ai, cada um sabe a falta que o outro faz. Nunca mais se viram, nunca mais se tocaram e nunca mais serão os mesmos. É fácil porque os dias passam rápidos demais, é dificil porque o sentimento fica, vai ficando e permanece dentro deles. E todos os dias eles se perguntam o que fazer. E imaginam os abraços, as noites com dores nas costas esquecidas pelo primeiro sorriso do outro....


Tati Bernardi

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

você quebrou o encanto...

Vá viver sua vida
Você me perdeu
Não tem outra saída
Eu já não sou mais seu

Eu sempre te pedi
Pra cuidar de nós dois
E você nem ai
Deixava pra depois

(...)

sábado, 24 de setembro de 2011

Agora eu sei que eu tava errado
Fazendo conta de cabeça
Meu pai me disse que o passado
A gente esquece
E que há sempre alguém novo para amar



Bidê ou Balde - Tudo Bem

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

- Mas eu sinto saudade dele.

- Então sinta saudade dele. Mande um pouco de amor e de luz sempre que pensar nele, depois esqueça. Você só está com medo de largar os últimos pedacinhos dele porque aí vai estar sozinha de verdade. (...) Mas o que você precisa entender é o seguinte, se você libertar todo esse espaço na sua mente que está usando agora na sua obsessão por esse cara, vai descobrir um vazio ali, um espaço aberto... uma entrada. E adivinhe o que o universo vai fazer com essa entrada? Ele vai entrar... Deus vai entrar... e vai encher você com mais amor do que você jamais sonhou. Então pare de usar ele para fechar essa porta. Esqueça isso.


Do Filme,
"Comer, Rezar, Amar"

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Contidamente, continuamos.

Vai passar, tu sabes que vai passar. Talvez não amanhã, mas dentro de uma semana, um mês ou dois, quem sabe? O verão está ai, haverá sol quase todos os dias, e sempre resta essa coisa chamada "impulso vital". Pois esse impulso às vezes cruel, porque não permite que nenhuma dor insista por muito tempo, te empurrará quem sabe para o sol, para o mar, para uma nova estrada qualquer e, de repente, no meio de uma frase ou de um movimento te supreenderás pensando algo como "estou contente outra vez". Ou simplesmente "continuo", porque já não temos mais idade para, dramaticamente, usarmos palavras grandiloqüentes como "sempre" ou "nunca". Ninguém sabe como, mas aos poucos fomos aprendendo sobre a continuidade da vida, das pessoas e das coisas. Já não tentamos o suicídio nem cometemos gestos tresloucados. Alguns, sim - nós, não. Contidamente, continuamos.


Caio F.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Que você me guarde na memória, mais do que nas fotos

Que você acredite que não me deve nada simplesmente porque os amores mais puros não entendem dívida, nem mágoa, nem arrependimento. Então, que não se arrependa. Da gente. Do que fomos. De tudo o que vivemos. Que você me guarde na memória, mais do que nas fotos. Que termine com a sensação de ter me degustado por completo, mas como quem sai da mesa antes da sobremesa: com a impressão que poderia ter se fartado um pouco mais. E que, até o último dia da sua vida, você espalhe delicadamente a nossa história, para poucos ouvintes, como se ela tivesse sido a mais bela história de amor da sua vida. E que uma parte de você acredite que ela foi, de fato, a mais bela história de amor da sua vida.


Tati Bernardi

terça-feira, 6 de setembro de 2011

18 meses, 19 dias...

Ontem chorei.
Por tudo que fomos. Por tudo o que não conseguimos ser. Por tudo que se perdeu. Por termos nos perdido. Pelo que queríamos que fosse e não foi. Pela renúncia. Por valores não dados. Por erros cometidos. Acertos não comemorados. Palavras dissipadas.Versos brancos. Chorei pela guerra cotidiana. Pelas tentativas de sobrevivência. Pelos apelos de paz não atendidos. Pelo amor derramado. Pelo amor ofendido e aprisionado. Pelo amor perdido. Pelo respeito empoeirado em cima da estante. Pelo carinho esquecido junto das cartas envelhecidas no guarda- roupa. Pelos sonhos desafinados, estremecidos e adiados. Pela culpa. Toda a culpa. Minha. Sua. Nossa culpa. Por tudo que foi e voou.
E não volta mais, pois que hoje é já outro dia.
Chorei.



Caio Fernando Abreu

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Não existe nada mais auto-destrutivo do que continuar lutando sem fé nenhuma.


Caio F.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Tudo aquilo que você evitou pensar ao dia, simplesmente aparece na hora que você deita para dormir. 
E não consegue ignorar.

(Desconheço o o autor)

sexta-feira, 17 de junho de 2011

será que está na hora de eu rever as minhas escolhas?

sábado, 11 de junho de 2011

Dia dos namorados

"Que todo mundo tenha um amor quentinho. 
Descanso pro complicado do mundo. Surpresa pra rotina dos dias. A quem esperar. De quem sentir saudades. Um nome entre todos. O verso mais bonito. A música que não se esquece. O par pra toda dança. Por quem acordar. Com quem sonhar antes de dormir. Uma mão pra segurar, um ombro pra deitar, um abraço pra morar. Um tema pra toda história. Uma certeza pra toda dúvida. Janela acesa em noite escura. Cais onde aportar. Bonança, depois da tempestade. Uma vida costurar na sua, com o fio comprido do tempo."

terça-feira, 17 de maio de 2011

15 meses

É você quem sorri, morde o lábio, fala grosso, conta histórias, me tira do sério, faz ares de palhaço, pinta segredos, ilumina o corredor por onde passo todos os dias.
Caio F.

sábado, 14 de maio de 2011

Há muitos lugares para serem vistos, muitas pessoas para serem conhecidas. 
Tudo isso estimula a gente, clareia a cabeça, refresca.

Caio F.

sábado, 30 de abril de 2011

“E a gente vai por aí se completando assim meio torto mesmo.
 E Deus escrevendo certo pelas nossas linhas que se não fossem tão tortas, não teriam se cruzado."

sexta-feira, 29 de abril de 2011

às vezes pasmo, repetitivo e bucólico, mas é real.

Você bem poderia estar sozinho, não é mesmo? Ou, sei lá, estar com outra pessoa desfilando por aí. Uma menina dourada, quem sabe. Os ombros mais erguidos, o sorriso mais arqueado, os olhos reluzindo, falando alto aquelas bobagens bem sacadas que ninguém mais faz, senão você. Mas tá aqui, comigo.
Sei viver sem você, oficialmente falando. Mas eu não quero, não vou. Eu poderia te dizer aquelas doces mentiras sinceras - "Você-é-minha-vida", "Não-sei-o-que-seria-da-minha-vida-sem-você" ou todo esse tipo de porcaria que a gente diz no calor da hora. As pessoas são assim, dizem que não sabem viver sem você. Depois aprendem e esquecem de comemorar contigo. E deixam vazio o lugar que sempre será delas. Eu não, simplesmente estou aqui. De vez em quando sujo, entediado, agressivo, mal-humorado, triste, calado e chato. Mas aqui.
Não há lugar ou motivo no mundo capaz de me afastar. Já fui a todas as festas que tive oportunidade, fui a todos os shows, praças, bares (...) Nada mais funciona. Nada na vida é mais excitante que ter alguém que te abrace por trás, entrelace os dedos e diga seu nome de batismo, estendendo um chá de erva-cidreira.
Porque eu te encontrei, da forma mais esdrúxula e inesperada. E me apaixonei pelo cheiro e pelo balanço meigo e suave dos seus quadris. E como duas sacolas plásticas que se enroscam na cidade, no meio do caos, movidos por um breve redemoinho pré-chuva, a gente resolveu que ia se amar. E ninguém sabe melhor sobre nós, que nós. 
No show a sol e céu aberto do nosso cantor favorito ou assistindo um filme mal dublado na tevê, nós curtimos estar juntos o tempo todo. Resposta oficial: eu poderia estar por aí, com outro alguém, injetando as sensações vertiginosas de ser livre e procurado, mas dei uma abertura ao verdadeiro amor. 
E nada é mais importante que isso, que é sim, às vezes pasmo, repetitivo e bucólico, mas é real. É isso, é preciso abrir mão de uma porrada de coisas se você não quiser ficar sozinho à noite, vagando pelo seu apartamento minúsculo com o maior corredor do mundo.

Gabito Nunes

quarta-feira, 6 de abril de 2011

frágil

- Estou tão frágil nos últimos tempos que uma vírgula mal colocada me dói inteira - diz Luísa ao telefone, enquanto olha rápido para os sapatos nas prateleiras, escolhendo um par para sair de casa.
- Qualquer coisa que encostar vai te doer, Luísa. Ao menos nesses dias - responde compreensiva Beatriz, do outro lado da linha.

Cadernos de Luísa, Vanessa Souza Moraes

terça-feira, 5 de abril de 2011

será?

Você tem que me prometer que essa viagem não vai ser a toa, que vale a pena. Que por você vale a pena. Que por nós vale a pena. Remar. Re-amar. Amar.

Caio F.

terça-feira, 29 de março de 2011

mas o que tenho, é seu.

Não queria pedir mais do que você tinha, assim como eu não daria mais do que dispunha, por limitação humana.
Mas o que tinha, era seu.

Caio F.

segunda-feira, 28 de março de 2011

a gente só quer ter com quem rir no final do dia e ganhar alguns beijos no lugar certo.
Tati Bernardi

quarta-feira, 23 de março de 2011

Hoje é 23 do 3
Como vão as coisas
De mês em mês?


Leoni

quarta-feira, 16 de março de 2011

as pessoas vêem o que querem ver

Dizem que, não importa qual seja a verdade, as pessoas vêem o que querem ver. Algumas pessoas podem dar um passo para trás e descobrirem que estavam olhando a mesma cena por todo o tempo. Algumas pessoas podem ver que suas mentiras quase acabaram com elas. Algumas pessoas podem ver o que estava na sua frente o tempo todo. E ainda há aquelas pessoas que correm o máximo que podem para não terem que olhar para si mesmas.


Gossip Girl


sexta-feira, 11 de março de 2011

Tive um momento de imensa paz. Talvez a felicidade seja isto.
Virginia Woolf 

sexta-feira, 4 de março de 2011

LOKS 2011

TA TODO MUNDO LOKO! BEM LOKO!

AMO CARNAVAL!

quarta-feira, 2 de março de 2011

fiquei olhando, lembrando, pensando...

Meu Deus, como tudo muda rápido. De uma hora pra outra, a cidade escurece, as nuvens ficam negras, a chuva começa a cair. De uma hora pra outra, a vida nos manda recados, tudo, tudo muda. E nós temos que mudar também, pra acompanhar o embalo, senão ficamos para trás, somos esmagados pelos acontecimentos. 
Por isso, peço para a vida:
que seja feito o que precisa ser feito. 
Clarissa Corrêa

Muita Luz pra ti, Léo. Aonde quer que você esteja.

terça-feira, 1 de março de 2011

Feliz mês novo!

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Para conseguir o que quer, você deve olhar além do que você vê. 

O Rei Leão 3

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011


"Sempre me pareceu amor o modo como ele cuida de minhas delicadezas..."

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Eu sei que todos os dias quando eu acordo Deus dá um sorriso e me diz:
 Estou te dando a chance de tentar de novo.

Caio F.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Pisciana

Mulher de Peixe... peixe é 
Em águas paradas não dá pé 
Porque deslisa como a enguia 
Sempre que entra numa fria. 
Na superfície é sinhazinha 
E festiva como a sardinha 
Mas quando fisga um namorado 
Ele está frito, escabechado. 
É uma mulher tão envolvente 
Que na questão do Paraiso 
Há quem suspeite seriamente 
Que ela era a mulher e a serpente. 
Seu Id: aparentar juízo 
Seu Ego: a omissão, o orgulho 
Sua pedra astral: a ametista 
Seu bem: nunca ser bagulho 
Sua cor: o amarelo brilhante 
Seu fim: dar sempre na vista. 


 Vinícius de Moraes 

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

20 anos

e ontem começou o meu Ano Novo! 

Tudo igual.... Mas tão diferente.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Tô morando, trabalhando, estudando e amando. Esses são os quatro foles da minha vida, no momento.

Caio Fernando Abreu 

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Entenderam, por momentos, que uns escrevem as leis, outros as aplicam, uns vestem terno e gravata, outros andam como maltrapilhos, uns escrevem livros, outros os leem, mas no fundo somos todos meninos que brincam no teatro do tempo sem compreender os fenômenos mais importantes da existência...
Augusto Cury 

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Às vezes é tão estranho ser uma pessoa. A gente é.
Caio F.

desabafando

Passado, é passado, e não importa. Certo. Concordo. 
Mas ver fotos do passado de outra pessoa, passado este, do qual você não participou. Que havia outros, outras em seu lugar... Continua não importando, não é?
Eu sei, eu sei, eu sei. Mas meu coração e minha alma pisciana parecem não saber.
Não gostei de ver, simples. Nada grave. 

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

São as estradas da vida.

Só se pode seguir uma delas, sem nunca saber como seriam as outras.

Gabito Nunes

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Estou bem. 
Não estou radiante de felicidade, mas estou tranquila. 
Caio F. Abreu

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

mais amor

Pois de amor andamos todos precisados, em dose tal que nos alegre, nos reumanize, nos corrija, nos dê paciência e esperança, força. Amor que seja navio, casa, coisa cintilante, que nos vacine contra o feio, o errado, o triste, o mau, o absurdo [...]
Carlos Drummond

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Porque me vem o medo de estar agindo errado, de estar gerando feições horríveis, que mais tarde não sairão com facilidade. Não, não é fácil ser a gente mesmo da cabeça aos pés, da unha do dedo mindinho até o último fio de cabelo.

Caio Fernando Abreu

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

be happy

As pessoas têm coisas lindas e horríveis para nos ensinar
Clarissa Corrêa

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

esperando o vento passar

De vez em quando, surge um vento mais forte e fecha as janelas pelo lado de fora. 
Quando acontece, é bobagem tentar brigar com o vento.
A gente espera ele esvaziar e reabre as janelas pelo lado de dentro.

Ana Jácomo

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

sobre o tempo

Eu acredito. Acredito no tempo. O tempo é nosso amigo, nosso aliado, não o inimigo que traz as rugas e a morte. O tempo é que mostra o que realmente valeu a pena, o tempo nos ensina a esperar, o tempo apaga o efêmero e acaba com a dúvida.
Caio F.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Pra ser honesto só um pouquinho infeliz...


terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Nossa vida é feita de pequenos nadas

Tás a ver a linha do horizonte? A levitar, a evitar que o céu se desmonte. Foi seguindo essa linha que notei que o mar na verdade é uma ponte. Atravessei e fui a outros litorais. E no começo eu reparei nas diferenças. Mas com o tempo eu percebi, e cada vez percebo mais, como as vidas são iguais. Muito mais do que se pensa. Mudam as caras, mas todas podem ter as mesmas expressões. Mudam as línguas, mas todas têm suas palavras carinhosas e os seus calões. As orações e os deuses também variam, mas o alívio que eles trazem vem do mesmo lugar. Mudam os olhos e tudo que eles olham, mas quando molham todos olham com o mesmo olhar. Seja onde for, uma lágrima de dor tem apenas um sabor e uma única aparência. A palavra saudade só existe em português, mas nunca faltam nomes se o assunto é ausência.
A solidão apavora mas a nova amizade encoraja, e é por isso que a gente viaja. Procurando um reencontro, uma descoberta, que compense a nossa mais recente despedida. Nosso peito muitas vezes aperta. Nossa rota é incerta. Mas o que não é incerto na vida? A vida é feita de pequenos nadas. Que agente saboreia, mas não dá valor. Um pensamento, uma palavra, uma risada. Uma noite enluarada ou um sol a se pôr. Um bom dia, um boa tarde, um por favor. Simpatia é quase amor. Uma luz acendendo, uma barriga crescendo. Uma criança nascendo, obrigado senhor. Seja lá quem for o senhor, seja lá quem for a senhora. A quem quiser me ouvir e a mim mesmo, eu preciso dizer tudo o que eu estou dizendo agora. Preciso acreditar na comunicação, não há melhor antídoto pra solidão. E é por isso que eu não fico satisfeito em sentir o que eu sinto, se o que sinto fica só no meu peito. Por mais que eu seja egoísta, aprendi a dividir minhas derrotas e minhas conquistas. Nada disso me pertence. É tudo temporário no tapete voador do calendário. Já que temos forças pra somar e dividir, enquanto estivermos aqui. Se me ouvires cantando, canta comigo. Se me vires chorando, sorri.
Nossa vida é feita de pequenos nadas.

Gabriel O Pensador

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

sós

O que somos de verdade e o que queremos de fato, só nós sabemos. Só nós. Sós.
Martha Medeiros

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

11 meses

Ela o amava. Ele a amava também. E ainda, que essa coisa, o amor, fosse complicada demais para compreender e detalhar nas maneiras tortuosas como acontece, naquele momento em que acontecia dentro do sonho, era simples. Boa, fácil, assim era. Ela gostava de estar com ele, ele gostava de estar com ela. 
Isso era tudo.
Caio F.

sábado, 15 de janeiro de 2011

Estou sofrendo de amor feliz!
Clarice L.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

pois é.

muito mais coisas acontecendo todo o tempo dentro de nós do que estamos dispostos a expressar...

Thomas Nagel

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

o que ninguém vê

Eu guardo as minhas rejeições em vidrinhos rotulados com o nome deles. Eu sou mole demais por dentro pra deixar todo mundo ver. Eu deixo pra quem eu acho que pode comigo. Ninguém sabe. Mas eu tenho coração de moça.

Fernanda Young

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Às vezes o que a gente procura, não é o que a gente procura. É o que a gente encontra.
Chico Buarque

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

happy

entre as situações, encontros, desencontros, acertos, confusões... Independente das opiniões, confissões, achismos, conselhos e discussões.

Me resumo FELIZ.

E você, vê?

Tás a ver o que eu estou a ver? Tás a ver estás a perceber? Tás a ouvir o que eu estou a dizer? Tás a ouvir estás a perceber? Tás a ver a vida como ela é? Tás a ver a vida como tem que ser? Tás a ver a vida como a gente quer? Tás a ver a vida pra gente viver?
Gabriel O Pensador

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011


Tão doce, tão cedo, tão já. 
Tudo de novo vira começo... 


Leminski

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

As coisas vão dar certo. Vai ter amor, vai ter fé, vai ter paz – se não tiver, a gente inventa.

Caio F.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Hope

Mas tenho assim... aquela coisa... como era mesmo o nome? 
Esperança? Não me diga que você está com esperança! 
— Estou, estou.
Caio Fernando Abreu

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

é mais que 10, é 11!

O ano terminou, um outro ano começou. Engraçado como nada mudou e, ao mesmo tempo, tenho a sensação de que tudo mudou. Essa é a magia do fim de ano, magia do começar de novo. Energias renovadas da noite para o dia. Novos planos, metas, sonhos. O pote da esperança se enche outra vez. 

Ano Novo, aí vou eu!

Tchau 2010!
Seja muito bem-vindo 2011!