quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Happy New Year!

Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial. Industrializou a esperançafazendo-a funcionar no limite da exaustão. Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente!

Carlos Drummond de Andrade 

para 2011

Em 2011, rasgue todas as suas listas

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Tudo aquilo que eu sempre quis te dizer

Ao meu 2° pai:

Hoje eu quero falar sobre você e sobre tudo aquilo que me maltrata por dentro. Sabe, são tantas coisas. Acredito que você também tenha as suas mágoas escondidinhas em um canto do peito. Poucas vezes te vi chorar. Muitas vezes te vi calar e guardar. Sempre achei melhor colocar as coisas para fora, gritar, explodir, falar, conversar. Mas existe algo que me deixa muda. Nunca consegui falar sobre os meus sentimentos mais profundos para você. Algo me travava. Hoje resolvi dizer.
Escrevo porque você tem muita importância na minha vida. Não quero que a gente se perca. Não quero que a gente se afaste. E me pergunto: será que fomos realmente próximos por algum instante? Creio que sim, mas acho que nos afastamos faz tempo. Eu não entendo seu jeito racional, você não compreende minhas emoções e muitas vezes não respeita os caminhos que escolhi para a minha vida.
Sabe, eu só queria ser boa. É, é isso mesmo. Eu queria ser boa o suficiente para você se orgulhar de mim. Por isso, pintei vários quadros. Por isso, queria chamar a sua atenção. Queria um elogio, algo assim (...) Queria que você se orgulhasse das minhas conquistas.  Mas você se detém nos meus tropeços. Usa escudos, não se aproxima. Usa a palavra para me repelir. Você não sabe o quanto me magoa a cada vez que me agride com as palavras e não entende a minha subjetividade. Eu vejo a vida de uma forma bonita. Tenho olhos de otimismo, um coração que nunca para, uma emoção que vive de braços abertos.
Eu queria os seus braços abertos. Não queria críticas, nem cobranças, nem caras feias. Queria colo, atenção, queria que pelo menos uma vez você secasse as minhas lágrimas. Sabe, sempre tive vergonha de chorar na sua frente. Me sinto boba, quase infantil. Antes, eu saía, batia portas, me escondia, chorava. Sempre esperei que você fosse atrás de mim, me abraçasse. Meu Deus, quantas vezes esperei por um abraço que nunca veio.
Tenho defeitos. Muitos deles. E você sempre me apontou cada um. Por favor, entenda que você tem defeitos também. Eu busco evoluir, crescer, aprender a andar com as próprias pernas, mas sinto que você não sorri com minhas conquistas. Você não gosta da vida que escolhi para mim, não vê graça no meu caminho, acha burrice e bobagem tantas coisas que me importam demais.
Sei que errei ao tentar ser perfeita e andar em linha reta. Sei que errei ao passar grande parte da vida tentando ser alguém. Sei que tenho minha parcela de culpa. Ei, existe culpa nisso? Você tem um coração tão bom, é uma pessoa tão cheia de qualidades e bondade. Mas você não sabe lidar com emoção, tem uma couraça, uma casca, um escudo, se protege talvez de você mesmo. Por favor, se abra para a vida. Sorria para a vida. Se encante pela vida. Libere as suas tensões. E tente achar o amor no meio disso tudo.
Vejo você e penso ele-tem-amor-pra-dar. Mas cadê esse amor todo? Cadê o olhar terno e cheio de carinho e orgulho? Tento lembrar quando você disse que eu era bonita ou inteligente ou engraçada ou legal ou sei lá, alguma coisa boa. Não lembro. Desculpa, eu não consigo lembrar! Isso me dói tanto. Você não sabe o quanto. Você pode escolher maneiras mais delicadas de falar as coisas. Mas você prefere dizer que estou gorda ao invés de dizer olha, é bom você emagrecer, está acima do peso, emagrecer vai te fazer bem. Mas você prefere a ofensa do que o carinho. O peso do que a leveza.
Lembro de antes. De muito antes. Você teve tanto amor e cuidado um dia. Depois, quando a gente se mudou, as cobranças vieram. Queria resultados, dez, dez, dez. E eu não conseguia, pois era preguiçosa demais. Então, tentei de outras formas. Não deu. Me abandonei um pouco. Tinha medo de você. Medo de ser eu mesma, de expor meus sentimentos, verdades e vontades. Medo do olhar torto, da crítica feroz. Você não gosta das minhas brincadeiras, não engole minhas ironias, não sabe quando estou brincando. Eu só queria me sentir importante para você, sabia? Minha vida inteira busquei isso, busquei admiração. É essa a palavra: queria que você me admirasse. Admirasse meu trabalho, minhas escolhas, minha força, meus caminhos.
Há pouco tempo, passamos por uma situação bem difícil que me fez um mal absurdo. Durante quase um mês, pensei que não ia aguentar. Mas vi o quanto sou forte e capaz de encarar as adversidades, os contratempos. Talvez você não saiba o quanto aquilo me marcou, o quanto eu sofri. Dormia chorando todas as noites, mas acordava e te ouvia.(...) Eu só esperava de você da mãe um ombro. Mas eu tenho vergonha de pedir, eu não sei pedir e não sei se você sabe se dar, se doar. Largue as armas, os escudos, os disfarces.
Precisei tanto de você. Do seu apoio. Mas parece que você sempre me apoiou a contragosto. Engolindo, aceitando, mas não concordando. E eu precisei da sua aprovação, do seu empurrão. Não financeiramente, mas emocionalmente. Precisei da sua força. Precisei ouvir um elogio. Uma palavra incentivadora. Mas sempre me senti devendo. Sei que te decepcionei, sei que não fui por onde você achava que deveria, mas, por favor, entenda: cada um faz o seu caminho.
Hoje, estou mais madura e um pouco mais serena. Entendi que não tenho que provar nada, nem ficar tentando agradar sendo quem não sou. Eu sou essa que você está vendo e, sim, tenho falhas. E, sim, sou pura emoção. Tenho algumas cicatrizes, feridas que não fecharam direito, raivas, coisas mal resolvidas. Quero me livrar disso tudo e seguir em frente. Preciso resolver isso e seguir no caminho que escolhi para mim. Espero que você se livre das coisas ruins e me acompanhe também. Nunca é tarde para aparar arestas. Vem.


Por Clarissa Corrêa, 
traduzindo tudo aquilo que eu sempre quis te dizer mas não sabia como.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

do meu jeito

Acho que fiz tudo do jeito melhor, meio torto, talvez, mas tenho tentado da maneira mais bonita que sei.


Caio Fernando Abreu

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Merry Christmas (2)

Merry Christmas



Então é Natal, e o que você fez? O ano termina e nasce outra vez. Então é Natal, a festa cristã. Do velho e do novo, do amor como um todo. Então bom Natal, e um Ano Novo também. Que seja feliz quem souber o que é bem. E então é Natal, pro enfermo e pro são. Pro rico e pro pobre num só coração. Então bom Natal, pro branco e pro negro. Amarelo e vermelho, pra paz afinal. Então bom Natal, e um Ano Novo também. Que seja feliz quem souber o que é bem. Então é Natal, e o que você fez? O ano termina, e nasce outra vez. Então é Natal a festa cristã. Do velho e do novo, do amor como um todo. 
Então bom Natal, e um Ano Novo também. Que seja feliz quem souber o que é bem!

John Lennon

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

olha só...

... o infinito é tão legal. O que será que vem depois?

Papas da Língua

dream

queria estar aí agora.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

tired

Às vezes cansa, sim, mas combinamos não desistir da força que verdadeiramente nos move.
Ana Jácomo

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

quase lá

Contarás nos dedos os dias que faltam para que termine o ano, não são muitos, pensarás com alívio.
Caio F.

As pessoas têm medo de mudar, de pensar que as coisas podem mudar. O mundo não é feito somente de merda! Mas é difícil pra quem se acostumou com as coisas como elas são. Mesmo que sejam ruins elas não mudam, então as pessoas desistem... Quando isso acontece todo mundo sai perdendo. 


Do filme, 
A Corrente do Bem

sábado, 18 de dezembro de 2010

correria do fim de ano

Estou com saudade de mim. Ando pouco recolhida. Atendendo demais ao telefone. Escrevo depressa. Vivo depressa...


Clarice Lispector

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

41 anos

Às vezes eu acho que o mundo inteiro se revoltou contra mim. Sem nenhum porque, eu viro a mesa, parece ser o fim. Mas quando me lembro que tenho você, eu procuro me acalmar. Isso me consola e tudo melhora. E a cabeça volta pro lugar... Eu sei faz tanto tempo. Passamos por muitos momentos... 

Saber que tenho você me faz, me faz continuar.
Cachorro Grande

Feliz Aniversário, Mãe!
Love you!

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Escolhas

São as nossas escolhas, mais do que as nossas capacidades, que mostram quem realmente somos. 

Do filme, Harry Potter e a Câmara Secreta

Já que não se pode viver tudo, o importante é viver o essencial. E cada um de nós tem o seu essencial. 
do filme E se fosse verdade

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

novo ciclo

Natal chegando, mais um ano se acabando. Começo a pensar em tudo que passei durante todos este tempo. Esse foi um ano muito tumultuado. Tantas coisas novas aconteceram... Vivi muitos anos em apenas 12 meses.
Cresci, aprendi, trabalhei (e muito!), assumi responsabilidades. Agora sou mais mulher do que menina. Tive momentos difíceis, tive vontade de largar tudo e ir vender coco na praia. Mas não, segui em frente, e cá estou. Aquelas dificuldades foram superadas, e agora, estou enfrentando outras. É tudo um ciclo, não é!? 
Tudo passa, tudo muda, tudo se renova. 
O ano ainda não terminou oficialmente, mas sinto como se um ciclo tivesse se encerrado. É, já iniciei uma nova fase. Muitos planos, obstáculos visíveis e, acima de tudo, esperança. FÉ.

E sabe o que é melhor? Eu estou pronta.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

fica contente, fica.

 - Você está triste, Coelha? Fica contente, amor, fica contente. Eu queria tanto que as pessoas todas fossem mais contentes, é tão bom ficar contente. A gente vê na rua todo mundo tão triste, por que as pessoas estão tristes? Ahn? Queria tanto sair por aí alegrando as pessoas, olha, não fique triste, segura minha mão e vem comigo que te mostro o jardim da alegria com Deus lá dentro, vem...


Lygia Fagundes Telles

sábado, 11 de dezembro de 2010

simples

Só olhar para ele, sentar ao lado, ouvir a voz, faz tudo ficar mais feliz.
  Algumas pessoas simplesmente valem a pena.

Tati Bernardi

É preciso exigir de cada um o que cada um pode dar.

Antoine de Saint-Exupéry

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

feliz, em primeiro lugar.

E eu tenho vontade de segurar seu rosto e ordenar que você seja esperto e jamais me perca e seja feliz.

Tati Bernardi

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Preciso de férias, uns porres, e o meu amor.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

chega de sofrer

Tá na hora da gente ser muito feliz!
Primeiro porque somos de verdade.
Depois porque somos filhos de Deus.
E, pra terminar, porque existe escova progressiva!

Tati Bernardi

Nós, os humanos, temos essa horrível e maravilhosa capacidade de sofrer pelo que não existe.
Somos neuróticos.

Rubem Alves

"bem"

"- Eu estou bem.
- Defina "bem".
- Inseguro. Neurótico. Decepcionado."

só.

Hoje eu sinto saudade e nem sei do quê. É uma angústia louca, um misto de vontade de chorar e sorriso leve.  (...) Estou ao mesmo tempo feliz e deprimida, tenho companhia e nunca fui tão sozinha.
Verônica H.

sábado, 4 de dezembro de 2010

E eu te preciso, sei que preciso não por solidão ou por necessidade, mas por amor, por gostar, por querer.
Cah Morandi

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

chove lá fora.

Pois por fora, hoje, havia chuva e um pouco de frio: essa chuva e esse frio parecem que empurram a gente mais pra dentro da gente mesmo, então as pessoas ficam mais lentas, mais verdadeiras, mais bonitas. 
Hoje eu estava assim: mais lento, mais verdadeiro, mais bonito até.

Caio Fernando Abreu

Pra todos os efeitos...

Pra todos os efeitos sou uma mulher que se entende. Nome, sobrenome e identidade impressa. Letras garrafais e um gole sem gelo. Porre de manhã, lucidez o dia inteiro. Liberada, financiada e morta de ciúmes. Para todos os efeitos você ainda não viu esse filme.

Martha Medeiros 
do livro, Meia noite e um quarto.
gosto MUITO dele. Vale a pena ler.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

e você, notou?

Tu não tens notado, querida? É tudo um turbilhão. Pense em como estavam as coisas há um ano. Você não lembra? Que dia é hoje? O que você comemoraria hoje? E veja como mudou em apenas um ano. E de um mês atrás pra cá? Veja quanta coisa mudou, e tão rápido. Você imaginava, naquele dia, que dali a um mês estaria assim? Você quase não consegue acreditar, foge ao controle. Tudo isso é pra gente perceber que o controle das nossas vidas de maneira alguma está totalmente nas nossas mãos. São as pessoas, umas às outras, que fazem as vidas. A interação. São os outros e nós, que nos transformam no que quer que a gente se torne.

Piu Olegario

bem-vindo dezembro!

Feliz mês novo! ;)