quinta-feira, 30 de setembro de 2010

desculpe a falta de rumo

Sabe, eu sempre busquei um rumo na vida. Sempre quis ser alguém, ser grande, causar orgulho. Desde pequena. Desde que eu sonhava em ser um Chiquitita. Mas aí, tudo aconteceu. Justo no momento mais importante, quando eu tinha que decidir, enfim, que rumo tomar. Qual seria a grande escolha que mudaria toda a minha vida. Só que aí, em vez de eu achar um rumo, eu perdi qualquer resquício dele. Eu fiquei zerada, sem nada. Perdida. Inconsolável. Mas me fazendo de forte, como sempre. Afinal, isso não é desculpa para se trancar no quarto, para resolver dar um tempo do mundo. Não, você não quer que ninguém fique com pena de você, e pensando coitada-da-guria-perdeu-o-pai-tão-cedo. Não, você, definitivamente, não quer isso. Então você enxuga as lágrimas, levanta a cabeça e segue em frente. Parabéns, você superou, a vida continua.
E viveu feliz para sempre.
Mas não foi assim. Muito longe de ser assim. O terceirão acabou e você continuou sem saber o que fazer. Tentou uma, tentou duas, tentou três, tentou quatro. Os anos passaram. Mas nada feito. Desistiu, fracassou. E aí você se sente a pior pessoa do mundo. Se pudesse, fugiria pra bem longe, pra nunca mais ter que olhar pra essa vida. Mas adiantaria? É claro que não. Seria mais fácil, óbvio. Cobranças, olhares, isso doem mais do que qualquer bofetada. E o pior, é que quando você está no limite, transbordando, explodindo. Você não tem mais pra onde correr. Você não tem mais o refúgio. A outra vida que ele te proporcionava. Você não tem mais aquele abraço apertado de saudades, onde você sentia que tudo ia ficar bem, porque ele estava lá com você e por você. Pra te defender, confortar, ou só pra assistir o pica-pau. Como se nada mais importasse... Agora, quando você tem vontade de fugir, de correr pro seu refúgio, você chora sozinha num canto, porque ninguém pode te ajudar, ninguém pode resolver, ninguém entenderia...
Desculpe a falta de rumo. Às vezes falta o chão, sabe.
Mais um ano está indo pro final, mais um inverno passou e mais uma primavera chegou.
E eu ainda não sei pra onde correr.
Mas vou continuar seguindo em frente, procurando o meu lugar.
Por você.... e por mim.

1 comentários:

Lu Nascimento disse...

gostei do texto (:

...aliás, teu blog é muito legal.
Parabéns!

Se quiser, dá uma passadinha no meu tbm: http://lua-letras.blogspot.com

p.s: lá tem uma roubadora e uma porção de estrelas..rsrs

até!