segunda-feira, 20 de setembro de 2010

believe

Chorava às vezes, rezava sempre. Pensava em fadas o tempo todo. E sem ninguém saber, em segredo, cada vez mais: acreditava, acreditava.

Caio F. Abreu

0 comentários: