quarta-feira, 21 de julho de 2010

sobre o medo II

Contou desculpas nos dez dedos das mãos abertas em frente ao espelho. não satisfeita, recorreu aos dos pés. recorreria a outros, se mais tivesse. As desculpas se acumulavam me entende, eu não quis, eu não quero, eu sofro, eu tenho medo, me dá a tua mão, entende, por favor. eu tenho medo, merda!

Caio Fernando Abreu

0 comentários: