sexta-feira, 30 de julho de 2010

e a calmaria plena no meu quintal...

"O espírito é variável como o vento... Mais coerente é o corpo, e mais discreto. Mudaste muita vez de pensamento, mas nunca de teu vinho predileto..."

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Não sou mais macho que nenhum homem


Minha unha quebra, e quero que a minha vida acabe. Bad hair day, e desejo não sair de casa. Roupas, sapatos e maquiagens, e meu ego lá em cima. O delírio que um chocolate faz por mim na TPM, nenhum homem nunca conseguiu cometer. Cozinho e passo - apenas, não lavo, pois manicure é uma vez na semana. Amo rosa, vermelho e roxo. Procuro como uma desbravadora crente, o batom que fixe a cor por mais de duas horas. Me sinto um pinto molhado na chuva, e a detesto. Converso animada e com amigas sobre cores, cortes e estilos de cabelo. Corro de baratas, lagartixas e insetos nojentos. Ver sangue me dá ânsia, se assistir à vômito, vomito junto. Tenho algumas frescuras, e não minto. Fui criada entre contos-de-fadas, princesas felizes no happy end, e amor em primeiro lugar. Aquela vida que nos ensinam de trabalho, dinheiro, família, filhos e tal. Me comovo até com comercial de dia das mães, e choro na maioria dos filmes. Não entendo absolutamente nada sobre canos, válvulas e mecânica - e não faço a menor questão. Fujo de cachorros de rua, minha festa acaba quando meu pé inicia a dor e escuto músicas melosas na fossa, e animadas quando assim me encontro. Gosto de futebol, mas me arrisco apenas em entender o esporte (sou uma negação com os pés, detesto atritos corporais e os uniformes não caem bem em nós damas, convenhamos...). Sou toda letras, literatura romântica e inspiradora. E repugno números. 
Diante desse balaio de feminices, e audaciosa que sou, me arrisco a contradizer a letra famosa de Rita Lee, Pagu: não sou mais macho que nenhum homem. Entre um par de peitos, cintura fina e ancas largas, acredito que nem mesmo que quisesse, alguma masculinidade brotaria em mim. Gostaria de poder trocar eu mesma o pneu do carro, ou dirigir com perfeição; mas prefiro cozinhar o jantar, enquanto ele passa no supermercado. Adoraria conseguir abrir sozinha uma lata de palmito; porém, nada é melhor do que o sorriso dele no rosto, por se sentir útil. Não confundam, não sou fútil; amo roupas, e suas combinações, o que acredito dizer muito sobre uma pessoa, seus sentimentos e personalidade. Estou longe de ser, tampouco, machista. Apenas, acredito que a essência da mulher tem se esvaido; ficado esquecida, enquanto a independência e os salários aumentam - e a feminilidade, caindo por terra. Claro que, obtemos iguais capacidade do que as criaturas do sexo oposto. É evidente, que somos melhores, e até mesmo, mais inteligentes, sensíveis e dinâmicas. Porém, temos que operar tudo isso, e não sair do salto - no mínimo 10, de preferência.  Nada como chorar num filme, e a manga do blusão dele oferecida, para enxugar suas lágrimas infantis. Ser mulher não tem preço. Se sentir feminina, menos ainda. Yin e Yang, não se complementavam por serem tão diferentes, e um masculino, enquanto o outro, era do sexo oposto? Pelo que eu entendo, sim. Dentro de nós, reencontramos essa essência libertadora, guerreira e que quer lutar por um lugar ao Sol. Sou também assim. Vou com garras, vontade, corpo e idealização ao que é de meu interesse. Porém, sem esquecer meu gloss, sutiã e meia-calça.
E essa história de macho, sinceramente, não é pra mim. Mais másculos que eu, estão todos que entre as pernas tem algo que eu não possuo; até mesmo os homossexuais, tão viris e homens, ao confessar sua adversidade ao mundo. Dignos de coragem, são homens sim. Apenas, com escolhas que diferem da minha, da sua, ou da de ninguém. Não sou a favor de ideologia alguma, nessa pauta. Apenas, quero continuar sendo vista como mulher, moleca, boneca; princesa. E deixar a caixa de ferramentas lá em cima, no alto do armário: onde nem eu alcanço.





Camila Paier



"Nascemos todos os dias, quando nasce o Sol.
Começa hoje mesmo a vida que te resta!"



Lygia Fagundes Telles

terça-feira, 27 de julho de 2010

Tudo que parece meio bobo é sempre muito bonito, porque não tem complicação. Coisa simples é lindo. E existe muito pouco.


Caio Fernando Abreu

dos quebra-cabeças

segunda-feira, 26 de julho de 2010

sobre os sonhos

Não. Não estou falando dos nossos sonhos para o futuro. Do que eu ou você ou o outro queremos conquistar.  Estou falando dos sonhos que a gente tem enquanto dorme. Pode ser sonho estranho, daqueles que parece que tu estás em um filme de mistério, ou um sonho que parece que tu é o narrador da história e personagem ao mesmo tempo. Pode ser sonho bom, daqueles que quando tu acorda, tu tenta voltar a dormir, pra continuar "vivendo" aquela feliz história. Mas, nada feito, nunca conseguimos voltar a sonhar e ver o seu final feliz. Agora, experimenta ter um pesadelo, daqueles feios mesmo, com sangue, perseguição, armas, gente morta e tudo mais. Tu sempre acaba acordando em um momento crucial do sonho, e pensa: "ufa! era só um sonho..", aí tu olha ao redor, o quarto escuro, pensa que é melhor fechar os olhos, fecha... e o sonho continua! Claro que sim. Este que tu não quer nem saber do final, continua, e aquelas imagens não saem da tua cabeça. 
Penso que às vezes acontece isso fora dos sonhos também. Aqui, na vida real. É... As coisas dão tão errado que parecem um pesadelo, desses que tu quer mais é abrir os olhos e acordar logo.

 E às vezes, está tudo tão certo, indo tão bem... que tu tem medo que o despertador toque logo. 

A vida tem uma sabedoria que nem sempre alcanço,
mas que eu tenho aprendido a respeitar, 
cada vez com mais fé e liberdade.

Ana Jácomo

sábado, 24 de julho de 2010

...pois já descobri que se você evitar a vida, ela acontece do mesmo jeito.

Tati Bernardi

sexta-feira, 23 de julho de 2010



Acho uma delícia quando você esquece os olhos em cima dos meus.
Chico Buarque

até aqui,
tudo bem.

mais ou menos assim.


DIÁRIO DELA:
No domingo à noite ele estava estranho. Saímos e fomos até um bar para tomar um drink.
A conversa não estava muito animada, de maneira que pensei em irmos a um lugar mais íntimo. Fomos a um restaurante e ele ainda agindo de modo estranho. Perguntei o que era, e ele disse que nada, que não era eu. Mas não fiquei muito convencida. No caminho para casa, no carro, disse-lhe que o amava muito e de toda sua importância. Ele limitou-se a passar o braço por cima dos meus ombros.
Finalmente chegamos em casa e eu já estava pensando se ele iria me deixar! Por isso tentei fazê-lo falar, mas sem me dar muita bola ligou a televisão, e sentou-se com um olhar distante que parecia estar me dizendo que estava tudo acabado entre nós. Por fim, embora relutante, disse que ia me deitar. Mais ou menos 10 minutos ele veio se deitar também e, para minha surpresa correspondeu aos meus avanços, e fizemos amor. Mas depois ele ainda parecia muito distraído e adormeceu. 
Já não sei o que fazer. Tenho quase certeza que ele tem alguém e que a minha vida é um autêntico desastre.
DIÁRIO DELE:
O meu time perdeu. Fiquei chateado a noite toda. Pelo menos dei umazinha. Mas ainda tô puto… time de merda!


enfim, não é fácil ser mulher. 

quinta-feira, 22 de julho de 2010

quem nada é peixe, isso sim.

E aí tu pergunta uma, duas, três, quatro vezes:
- O que é que tu tem?
-"Nada...."


NADA? como NADA?
Como se fosse fácil enganar uma mulher. Uma mulher pisciana. 
Uma mulher, pisciana e, a tua mulher...

Matar, não mata...
mas maltrata!

quarta-feira, 21 de julho de 2010

ainda sobre o medo

Tenho de ter paciência para não me perder dentro de mim, vivo me perdendo de vista. Preciso de paciência porque sou vários caminhos, inclusive o fatal beco sem saída. Gosto do modo carinhoso do inacabado, do malfeito, daquilo que desajeitadamente tenta um pequeno vôo e cai sem graça no chão. O medo sempre me guiou para o que eu quero. E porque eu quero, temo. Muitas vezes foi o medo que me tomou pela mão e me levou. O medo me leva ao perigo. E tudo o que eu amo é arriscado. Não é que vivo em eterna mutação, com novas adaptações a meu renovado viver e nunca chego ao fim de cada um dos modos de existir. Vivo de esboços não acabados e vacilantes. Mas equilibro-me como posso, entre mim e eu, entre mim e os homens, entre mim e o Deus. Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato... Ou toca, ou não toca...


Clarisse Lispector

sobre o medo II

Contou desculpas nos dez dedos das mãos abertas em frente ao espelho. não satisfeita, recorreu aos dos pés. recorreria a outros, se mais tivesse. As desculpas se acumulavam me entende, eu não quis, eu não quero, eu sofro, eu tenho medo, me dá a tua mão, entende, por favor. eu tenho medo, merda!

Caio Fernando Abreu

terça-feira, 20 de julho de 2010

Dia do amigo II

Decidiu que seria melhor conversar com ele. "Estou explorando", disse. "Ah, é?" "Sim. Já faz quase duas horas." "Descobriu o que?", perguntou o menino do pijama listrado. "Quase nada." "Nada mesmo?" A cerca os separava, mas a amizade os unia. "Bem, descobri você", respondeu.


O Menino do Pijama Listrado - John Boyne

Dia do amigo



"Um amigo não racha apenas a gasolina: racha lembranças, crises de choro, experiências. Racha a culpa, racha segredos. Um amigo não empresta apenas a prancha. Empresta o verbo, empresta o ombro, empresta o tempo, empresta o calor e a jaqueta. Um amigo não recomenda apenas um disco. Recomenda cautela, recomenda um emprego. Um amigo não dá carona apenas pra festa. Te leva pro mundo dele, e topa conhecer o teu. Um amigo não passa apenas cola. Passa contigo um aperto, passa junto o reveillon. Um amigo não caminha apenas no shopping. Anda em silêncio na dor, entra contigo em campo, sai do fracasso ao teu lado. Um amigo não segura a barra, apenas. Segura a mão, a ausência, segura uma confissão, segura o tranco, o palavrão, segura o elevador. Duas dúzias de amigos assim ninguém tem. Se tiver um, amém." 


Martha Medeiros 




"..é quem você escolhe pra viver, é quem você escolhe pra você, não precisa ter conta sanguínea, é preciso ter sempre um pouco mais de sintonia."


segunda-feira, 19 de julho de 2010

CUIDADO!

"...Ler pode tornar as pessoas perigosamente mais humanas!"

sexta-feira, 16 de julho de 2010

2 anos e 11 meses

"Não lhes peço que silenciem sua dor, mas que silenciem o desespero. Não espero que estanquem suas lágrimas, mas estanquem os altos níveis de angústia. A saudade nunca é resolvida, mas o desespero deve ser aquietado, pois não honra quem partiu. Ele viveu momentos incríveis, chorou amou, se encantou, perdeu, conquistou. Vocês estão aqui tristes com sua ausência, mergulhados num sentimento de vácuo existencial, porque o estão deixando morrer no único lugar em que ele tem de continuar vivo. Dentro de vocês."




Augusto Cury - O Vendedor de Sonhos



quinta-feira, 15 de julho de 2010

com o frio que faz aqui no sul nesta época, existe coisa melhor que isso no mundo?
Não né. Eu sei.

"O homem é um imã, e cada detalhe de suas experiências
 aconteceram  porque ele as atraiu."

TEU SORRISO

EU VOU DEIXAR NA ESTANTE,

PRA EU TER UM DIA MELHOR.

quarta-feira, 14 de julho de 2010





"nós somos os caminhos onde andamos, e tudo aquilo que amamos."

terça-feira, 13 de julho de 2010

O Vendedor de Sonhos

"O passado é meu algoz, não me permite o retorno, mas o presente levanta generosamente meu semblante descaído e me faz enxergar que não posso mudar o que fui, mas posso construir o que serei. Podem me chamar de louco, psicótico, maluco, não importa. O que importa é que, como todo mortal, um dia terminarei o show da existência no pequeno palco de um túmulo, diante de uma platéia em lágrimas. Nessa dia, não quero que digam: "Eis que nesse túmulo repousa um homem rico, famoso e poderoso, cujos feitos estão nos anais da história". E nem que digam: "Eis que jaz nele um homem ético e justo". Pois isso é mera obrigação. Mas espero que digam: "Eis que nesse túmulo repousa um simples caminhante que entendeu um pouco o que é ser um ser humano, que aprendeu um pouco a ser apaixonado pela humanidade e conseguiu um pouco vender sonhos para outros passantes..."

Augusto Cury - O Vendedor de Sonhos

sempre em frente

"Segurando forte nos galhos da árvore mais alta de seu jardim, a menina viu o horizonte e lembrou do seu passado. 
Fechou os olhos. Suspirou. Dera ao menos dez passos quando abriu seus olhos. Já não pisava em algo concreto. 
E se viu, pela primeira vez na vida, marchando com o vento em busca de seus sonhos..."


sábado, 10 de julho de 2010

voltas, voltas, voltas...





O mundo dá voltas, voltas, voltas e mais voltas.






 Para um pouquinho, dá mais voltas, mais voltas, mais voltas e mais voltas... Dá vontade de rir e chorar, desconforto e euforia... E quando vejo, no meio de tantas voltas, há muitas conquistas, vitórias, alegrias, alguns tropeços, um machucadinho aqui e outro ali, e mais voltas! Mas o mais legal disto tudo é que mesmo quando o mundo para um pouquinho, eu continuo dando voltas!

E mais voltas, voltas, voltas...



Que só eu que podia
Dentro da tua orelha fria
Dizer segredos de liquidificador

sexta-feira, 9 de julho de 2010

"Confie na ação do tempo, ele age a seu favor, há um tempo exato para todo bom propósito debaixo deste céu."

quinta-feira, 8 de julho de 2010

sobre os dias

Claro que têm dias que não servem pra nada, dias em que ninguém nos surpreende, o trabalho não rende e as horas arrastam-se melancólicas, sem falar naqueles dias em que tudo dá errado: batemos o carro, perdemos um cliente e o encontro da noite é desmarcado. pois estou pra dizer que até a tristeza pode tornar um dia especial, só que não ficaremos sabendo disso na hora, e sim lá adiante, naquele lugar chamado futuro, onde tudo se justifica. é muita condescendência com o cotidiano, eu sei, mas não deixar o dia de hoje partir inutilmente é o único meio de a gente aguardar com entusiasmo o dia de amanhã.


Martha Medeiros

quarta-feira, 7 de julho de 2010

se não eu...

Ahhh ora se não sou eu, quem mais vai decidir o que é bom pra mim!?
Dispenso a previsão.




Ahhh se o que eu sou, é tambem o que eu escolhi ser, aceito a condição.
Vou levando assim, que o acaso é amigo do meu coração.





Quando fala comigo, quando eu sei ouvir...


Los Hermanos

sábado, 3 de julho de 2010

Não vos preocupeis, pois, com o dia de amanhã: o dia de amanhã terá as suas preocupações próprias. A cada dia basta o seu cuidado.

Mateus - 6:34

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Pode até parecer fraqueza...
pois que seja fraqueza então!

"Se alguma coisa não acontece pra você, isso não significa que ela nunca vai acontecer. Significa apenas que você não está pronto para isso."