sábado, 5 de junho de 2010

das mudanças

Mudanças. Sempre elas.
Tudo mudou nos últimos meses. E eu mal percebi. Agora me dei conta de como está tudo diferente. Minhas amigas continuam sendo minhas amigas, mas agora passo muito menos tempo com elas. Continuo sabendo das fofocas, dos babados, de tudo. Mas não participo mais deles. Não sempre. Só às vezes. Não passo a semana inteira programando com elas o que fazer no fim de semana. Fim de semana este, que começa na quinta. Não nos reunimos mais antes das festas para nos arrumarmos, rir, trocar roupas, dar palpite, falar bobagem, falar dos homens, dos "esquemas" da noite. Elas até continuam fazendo isso. Mas não eu. Não é mais assim. Tudo mudou.
Se eu sinto falta? Sim, muita falta!
Se eu quero largar tudo e voltar atrás? Não. Nem pensar.
Acho que mudanças se resumem nisso mesmo. Fases, ciclos. Que passam. Reiniciam. Renovam-se. Mudam.
E tão essenciais..
Mudanças. Sempre elas....



"Mudanças. Nós não gostamos delas. Nós a tememos. No entanto, não conseguimos evitá-las. Ou nos adaptamos às mudanças, ou somos deixados para trás. Crescer é doloroso. Qualquer um que te disser que não, está mentindo. Mas aqui vai a verdade: às vezes, quanto mais as coisas mudam, mais elas permanecem as mesmas. E às vezes, às vezes mudar é bom. Às vezes mudar é tudo."

Grey's Anatomy




0 comentários: